quarta-feira, maio 18, 2005

Oligofrenia

Oligofrenia é sinónimo de Deficiência ou Retardo Mental. A característica essencial do Retardo Mental é um funcionamento intelectual significativamente inferior à média, acompanhado de limitações significativas no funcionamento adaptativo em pelo menos duas das seguintes áreas de habilidades: comunicação, autocuidados, vida doméstica, habilidades sociais/interpessoais, uso de recursos comunitários, auto-suficiência, habilidades acadêmicas, trabalho, lazer, saúde e segurança. O início deve ocorrer antes dos 18 anos. O Retardo Mental possui muitas causas diferentes que afetam o funcionamento do sistema nervoso central.
O funcionamento intelectual geral é definido pelo quociente de inteligência (QI ou equivalente) obtido mediante avaliação com um ou mais testes de inteligência padronizados de administração individual (por ex., Escalas Wechsler de Inteligência para Crianças — Revisada, Stanford-Binet, Bateria Kaufman de Avaliação para Crianças). Um funcionamento intelectual significativamente abaixo da média é definido como um QI de cerca de 70 ou menos (aproximadamente 2 desvios-padrão abaixo da média). Cabe notar que existe um erro de medição de aproximadamente 5 pontos na avaliação do QI, embora este possa variar de instrumento para instrumento (por ex., um QI de 70 na escala Wechsler é considerado como representando uma faixa de 65-75). Portanto, é possível diagnosticar o Retardo Mental em indivíduos com QIs entre 70 e 75, que exibem déficits significativos no comportamento adaptativo. Inversamente, o Retardo Mental não deve ser diagnosticado em um indivíduo com um QI inferior a 70, se não existirem déficits ou prejuízos significativos no funcionamento adaptativo.

Níveis de Gravidade do Retardo Mental
Quatro níveis de gravidade podem ser especificados, refletindo o atual nível de prejuízo intelectual:
Leve, Moderado, Severo e Profundo.
F70.9 - 317 Retardo Mental Leve Nível de QI 50-55 a aproximadamente 70
F71.9 - 318.0 Retardo Mental Moderado Nível de QI 35-40 a 50-55
F72.9 - 318.1 Retardo Mental Severo Nível de QI 20-25 a 35-40
F73.9 - 318.2 Retardo Mental Profundo Nível de QI abaixo de 20 ou 25
F79.9 - 319 Retardo Mental, Gravidade Inespecificada, pode ser usado
quando existe uma forte suposição de Retardo Mental, mas a inteligência da pessoa não pode ser testada por métodos convencionais (por ex., em indivíduos com demasiado prejuízo ou não-cooperativos, ou em bebês).

Veja Retardo Mental no DSM.IV
Veja Síndrome do X-Frágil em PsiqWeb

segunda-feira, maio 16, 2005

o inicio

ola pessoal, chegou a altura de contactar com a realidade da psiquitaria. Sendo assim venho por este meio desejar a toda a turma um excelente estágio, e que acima de tudo aproveitem ao maximo esta experiência já que vai ser muito util.

quarta-feira, abril 20, 2005

Casa de Saúde São João de Deus

Como todos sabem, falta pouco tempo para o inicio do nosso Ensino Clínico em Saude Mental e Psiquiátrica. Uma vez que terá lugar na Casa de Saúde São João de Deus em Barcelos, aqui fica o link a que podem aceder em caso de curisidade: http://saojoaodedeusbarcelos.planetaclix.pt/

terça-feira, abril 12, 2005

Suicidio

O suicídio constitui a principal preocupação da Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica, uma vez que têm a si confiada, 24h por dia, os cuidados ao doente.
Factores de risco
• Adolescentes ou Idosos;
• Pessoas viúvas, separadas ou divorciadas;
• Pessoas que vivem isoladas, ou sem apoios sociais;
• Desempregados;
• Pessoas com problemas de abuso de substâncias ou com história familiar de abuso de substâncias;
• Pessoas com depressão;
• Pessoas com psicoses;
• Pessoas com doenças do foro médico;
• História familiar de suicídio ou tentativa anterior de suicídio.
Sinais e sintomas comuns
• Abuso físico ou sexual;
• Morte de um amigo ou familiar;
• Desemprego;
• Mau aproveitamento escolar.
• Choro;
• Impulsividade;
• Auto-mutilação;
• Escrever acerca da morte e do suicídio;
• Tentativas anteriores de suicídio.
• Falta de energia;
• Falta de apetite;
• Mau estar geral;
• Mudança de aparência repentina;
• Falta de interesse pela aparência pessoal.
• Pensamento suicída;
• Solidão;
• Rejeição;
• Ansiedade;
• Falta de dignidade.

segunda-feira, abril 11, 2005

Transtornos de personalidade

Perturbações de personalidade:

“Estes tipos de condição abrangem padrões de comportamento profundamente arraigados e permanentes, manifestando-se como respostas inflexíveis a uma ampla série de situações pessoais e sociais. Representam desvios extremos ou significativos do modo como o indivíduo médio, numa dada cultura, percebe, pensa, sente e, particularmente, se relaciona com os outros. Tais padrões de comportamento tendem a ser estáveis e a abranger múltiplos domínios de comportamento e funcionamento psicológico. Estão frequentemente, mas não sempre, associados a graus variados de angústia subjectiva e a problemas no funcionamento e desempenho sociais”.

(OMS - Organização Mundial de Saúde)


Possíveis Consequências dos Distúrbios da Personalidade:

- Alto risco de comportamentos que podem acarretar doenças físicas (ex. alcoolismo ou dependência de drogas), comportamento auto-destrutivo, comportamento sexual de risco, hipocondria e conflitos com os valores sociais.

- Distúrbios psiquiátricos devido ao stress. O tipo de distúrbio psiquiátrico (ex., ansiedade, depressão ou psicose) depende em parte do tipo de distúrbio da personalidade.

- Menor propensão a seguir um tratamento prescrito. Mesmo quando este é seguido, os utentes tendem a ser menos receptivos à medicação do que o normal.

- Má relação com os médicos, pois recusam-se a assumir a responsabilidade pelo seu comportamento ou sentem-se altamente desconfiados, indignados ou necessitados.

Tipos de transtornos de personalidade:
• Paranóide
• Esquizóide
• Esquizotípica
• Borderline
• Histrionica
• Anti-social
• Obsessivo-Compulsiva
• Esquiva
• Narcisista
• Dependente







Aspectos essenciais:


Insensibilidade aos sentimentos alheios;

Atitude aberta de desrespeito por normas, regras e obrigações sociais de forma persistente;

Estabelece relacionamentos com facilidade, principalmente quando do seu interesse, mas dificilmente os consegue manter;

Baixa tolerância à frustração e facilmente explode com atitudes agressivas e violentas;

Incapacidade de assumir a culpa dos seus erros, ou de aprender com as punições;

Tendência a culpar os outros ou defender-se com raciocínios lógicos, porém improváveis.

domingo, abril 10, 2005

Anorexia & Bulimia

ANOREXIA & BULIMIA

Anorexia nervosa e bulimia são dois tipos de distúrbios alimentares. A anorexia nervosa é uma forma de auto-inanição. Bulimia é comer grandes quantidades de alimentos e depois forçar-se a vomitar ou usar laxantes e diuréticos para se livrar do excesso de comida ingerido, purgar. Esses dois tipos de distúrbios são formas de auto-abuso.
Sintomas
A anorexia nervosa e a bulimia parecem ser doenças opostas, mas compartilham os mesmos traços:
-Medo de comer demais e engordar
-Depressão
-Baixa auto-estima, imagem corporal ruim
-Comportamento autodestrutivo, autopunição por algum erro imaginário
-Relacionamentos familiares problemáticos
-Maior incidência de doenças em consequência do baixo peso, do ganho/perda de peso frequente e/ou da má nutrição
-Preocupação anormal com comida e com sentir-se fora de controle

Pessoas com anorexia nervosa:
-Na maioria dos casos são do sexo feminino e/ou estão na pré-adolescência, adolescência ou início da idade adulta
-Tendem a dar importância excessiva à imagem corporal e à perfeição
-Podem sentir necessidade de serem perfeitos para ganhar a atenção dos pais
-Apresentam efeitos físicos da doença visíveis; perda de cabelo, frequência cardíaca baixa, pressão arterial baixa, ausência de menstruação ou menstruação irregular
-Tendem a vivenciar depressão mais intensa do que os bulímicos
-Desenvolvem osteoporose na idade adulta mais avançada pela falta de cálcio e pela diminuição da produção de estrogênio (hormônio feminino) quando param de menstruar. Exercícios em excesso também podem contribuir para a osteoporose
-Podem ter danos severos no coração e outros órgãos vitais pela perda de peso excessiva e pelo desbalanceamento de minerais como consequência dos vômitos e da má nutrição.

Pessoas com Bulimia:
-Podem estar acima, abaixo ou com o peso normal
-Na maioria dos casos são do sexo feminino, estão final da adolescência ou são adultas jovens
-Comem exageradamente e depois vomitam e/ou tomam laxantes e diuréticos
-Sofrem de graves problemas de saúde decorrentes do ciclo de comer-purgar a comida. Estes incluem problemas de estômago, batimento cardíaco irregular, danos nos rins pela perda de potássio e danos ao esmalte dos dentes pelos vómitos.
Reprimem a raiva porque não conseguem expressar as emoções de maneira adequada. Temem incomodar ou desagradar as pessoas importantes em suas vidas.

A bulimia pode ser seguida de anorexia e vice-versa. Não existe uma causa específica para esses distúrbios alimentares, porém muitos fatores contribuem para o seu desenvolvimento:

-Uma possível causa genética
-Problemas e anormalidades metabólicas e bioquímicas
-Pressão social para ser magro
-Pressões pessoais e familiares
-Medo de entrar na puberdade e tornar-se sexualmente activa

Tratamento
O tratamento para a anorexia nervosa e a bulimia inclui:
-Diagnóstico e cuidados médicos - quanto mais cedo melhor
-Psicoterapia - individual, familiar e/ou de grupo
-Terapia comportamental
-Medicamentos - antidepressivos são usados em alguns casos
-Terapia nutricional
-Participação de grupos de apoio
-Programas de tratamento em regime de "paciente externo"
-Hospitalização - se a perda de peso for suficiente para deixar a pessoa com peso 25% abaixo do limite inferior do peso saudável e/ou está afetando o funcionamento de órgãos vitais.

O tratamento varia em método e em duração de acordo com o caso. Pode durar de semanas a anos.

in http://www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_mental/dis_alimentares.asp

Esquizofrenia

"Da Neuropsicofisiologia à Reabilitação"
Segundo Colóquio Internacional de Esquizofrenia.
Porto,Casa de Serralves, dias 6 e 7 de Maio de 2005.
Mais informações em http://www.colesquizo.com/

sábado, abril 09, 2005

Esquizofrenia

Esquizofrenia é uma patologia na qual a pessoa sofre de uma alteração ou desvio de personalidade, ou seja a sua personalidade está alterada.
Isto é um problema psicológico que apenas a medicação tem ajudado. Caracterizada por uma dissociação das funções psíquicas e pela perda de contacto com o mundo exterior, afecta não só a pessoa mas também toda a sua família e todas as pessoas à sua volta.
Um dos seus primeiros sintomas é a diminuição da afectividade, quando não a sua total supressão ou ausência, existindo um desligamento do mundo por parte do utente, que se volta sobre si mesmo, sendo em parte semelhante ao autismo.
As funções intelectuais são igualmente perturbadas o que acarreta rapidamente a alienação de tudo o que se passa à sua volta. Muitas destas pessoas passaram por períodos de depressão, stress ou conflitos antes de se encontrarem nesta situação o que leva a concluir que estes problemas desencadearam ou agravaram a esquizofrenia. A tensão e o stress nos quais a pessoa esteve envolvida foram assim desencadeantes da situação o que leva a crer que todas as técnicas que aliviem a pessoa das tensões e stress nas quais ela esteve envolvida são bem vindas. Uma vez que a pessoa vive sob stress, medos, pânicos e alterações comportamentais contínuos, tudo aquilo que lhe traga tranquilidade ou que a relaxe será igualmente bem vindo. Só quando a pessoa está mais tranquila e estável é que se pode pensar em fazer um trabalho mais profundo.
Assim o objectivo principal seria dar mais tranquilidade à pessoa para assim se poder fazer um trabalho de relaxamento para que a pessoa comece de novo a deixar de ter medos e pânicos das coisas e pessoas que existem à sua volta levando-a a sair do seu autismo.
Desta forma deveriam ser tentadas outras alternativas em complemento com as técnicas usadas para assim se poder fazer um trabalho mais global e abrangente e dessa forma se tentar dar uma maior ajuda a estas pessoas o que seria benéfico não só para elas mas para toda a sua família.


in http://sacrocraniana.no.sapo.pt/esquizofrenia.html